INFELIZMENTE MENOS UMA PISTA EM SANTOS

‘É como se enterrasse o Chorão pela segunda vez’, diz fã em pista de skate

Chorão Skate Park encerrou as atividades às 22h do dia 28/01.
Pista foi fechada devido ao grande número de dívidas acumuladas.

Lizie RodriguesDo G1 Santos

Pista 'Chorão Skate Park' encerra as atividades neste sábado (28), em Santos (Foto: Lizie Rodrigues)

28/09/2013 21h24 – Atualizado em 28/09/2013 22h14

‘É como se enterrasse o Chorão pela segunda vez’, diz fã em pista de skate.
Chorão Skate Park encerrou as atividades às 22h do dia 28/01.
Pista foi fechada devido ao grande número de dívidas acumuladas.

Lizie RodriguesDo G1 Santos

Pista ‘Chorão Skate Park’ encerrou as atividades neste sábado (28), em Santos (Foto: Lizie Rodrigues/G1)

Fãs da banda Charlie Brown Jr, skatistas e curiosos aproveitaram para ir pela última vez ao “Chorão Skate Park”, que teve suas atividades encerradas às 22h deste sábado (28), em Santos, no litoral de São Paulo. O irmão do ex-vocalista Chorão, Fábio Abrão, anunciou por meio de uma rede social no dia 20 de setembro o fechamento do local devido ao grande número de dívidas acumulados depois da morte do cantor.

Responsável pela pista, Fábio Abrão não permitiu a entrada da imprensa, por motivos pessoais, no último dia de funcionamento do local. Ele tentou buscar ajuda de patrocinadores, do poder público e até dos fãs para manter a pista. A banda A Banca, formada pelos integrantes do CBJr, realizou um show, no dia 23 de agosto, para arrecadar verba para pagar as dívidas do local, mas o dinheiro não foi suficiente.

De acordo com o segurança de Chorão e das duas bandas, Rafael Parola, não houve comprometimento de empresários e também de governantes com o irmão do cantor. “O parque é um local fechado, onde o pessoal do skate gosta de andar. Atribuo hoje o fechamento da pista ao não comprometimento dos empresários de Santos com um ícone que levava o nome da cidade por onde ia, acompanhei isso. Ele era paulistano mas falava da cidade, torcia para o Santos Futebol Clube. Os empresários de Santos falharam quanto a isso”, diz. Para ele, faltou apoio para a pista seguir aberta. “O aluguel nem é tão alto pelo espaço que tem. Políticos e empresários chegaram a prometer, na época do velório do Chorão, um apoio ao Fábio Abrão e isso não veio. O Chorão amava Santos, podia fazer residência em qualquer lugar do Brasil, mas ficou em Santos e não foi reconhecido”, reclama o segurança.

Fãs, skatistas e curiosos de vários lugares do país estiveram na pista na tarde deste sábado para se despedir. Jéssica Mariana de Sousa Pires veio acompanhada de amigos de Americana, no interior de São Paulo, e apesar de não andar de skate, quis conhecer o local. “Não ando de skate porque eu caio. É triste fechar assim porque podia continuar, não só pela banda, mas pela molecada que anda de skate, que era um sonho de todo mundo, não só do Chorão, da banda. O Governo poderia ajudar, já que a gente não tem dinheiro”, lamenta a jovem. O skatista João Fernandes, também de Americana, reclamou sobre a falta de ajuda para a pista ser mantida. “O Chorão fez bastante pelo esporte. É uma pena, pois são poucas pistas de skate que temos”, argumenta.

Fãs aproveitam último dia da pista de skate de Chorão, em Santos (Foto: Lizie Rodrigues / G1)Fã, Juliana tatuou os nomes de Chorão e também
de Champignon (Foto: Lizie Rodrigues/G1)

Já Juliana Sooma Torres, de 25 anos, é de Ribeirão Pires, mas conhece a pista como se fosse uma santista. Fã da banda Charlie Brown Jr. há 15 anos, ela acompanhou o grupo em diversos shows em todo o país e se emocionou ao comentar o fechamento do local. “É horrível a sensação. É como se estivesse enterrando o Chorão pela segunda vez. Prefeitura, empresas, fãs que se dizem fãs e amigos famosos poderiam ter colaborado”, desabafa.

A estudante santista Francis Battistini, amiga do irmão de Chorão e fã da banda CBJr, afirma que não sabe ao certo o sentimento sentido por Fabio. “Conheço ele há 15 anos, temos um amigo em comum, e fiquei muito triste por ele. Sei que a batalha foi muito grande para manter a pista depois da morte do Chorão. Não sei se é um alívio para ele ou uma dor maior fechar”, explica.

A enfermeira Maria Carolina Tufolo, de São Paulo, diz que muitas memórias de fãs estão no Chorão Skate Park e destacou a importância da pista. “Quem gosta sabia o quanto era significativo para o Chorão manter e infelizmente não tem mais nada que possa ser feito por nós. Para quem acompanha a história da banda, 2013 está sendo um ano muito difícil. A gente nunca pensou que iria acabar assim”, conclui a fã.

Fãs aproveitam último dia da pista de skate de Chorão, em Santos (Foto: Lizie Rodrigues / G1)Enfermeira levou bandeira autografada pelos integrantes da CBJr (Foto: Lizie Rodrigues/G1)

Fonte:www.g1.com.br

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s